Internações Evitáveis como fontes de desperdícios na assistência à saúde no Brasil

Conforme abordamos previamente, as internações hospitalares representam a maior parcela da composição de custos médico-hospitalares das operadoras, bem como a maior parcela da inflação médica.

Por isso, as internações potencialmente evitáveis, isto é, aquelas motivadas por causas oriundas de ineficiências em elos diversos da assistência à saúde, são objeto de atenção tanto no contexto do SUS como da saúde suplementar. De acordo com o II Anuário da Segurança Assistencial Hospitalar no Brasil, apenas analisando os custos associados a eventos adversos graves na assistência hospitalar da saúde suplementar, chegou-se a valores da ordem de R$ 10,6 bilhões em 2017 — um desperdício impressionante!

Em linhas gerais, o desperdício assistencial no Brasil concentra-se nas seguintes causas:

As readmissões evitáveis, a segurança hospitalar reduzindo eventos adversos graves e a otimização do tempo de permanência hospitalar constituem um dos focos de atuação da Lean Saúde, em sua linha de serviços Lean Stay. Já as internações evitáveis pela Atenção Primária são endereçadas pelos serviços Lean Care. Em conjunto, reconhecendo a importância e os impactos de tais causas sobre o ecossistema de saúde como um todo, a Lean Saúde atua de modo assertivo justamente nas maiores dores de operadoras, seguradoras, empresas privadas e governos.

Em breve vamos abordar as doenças e condições abrangidas no ICSAP e apresentar um panorama atualizado deste importante indicador para a avaliação da qualidade da assistência pública e privada no Brasil. Salve nosso site em seus favoritos e siga nossas redes sociais para não perder nenhuma novidade!